Tagged aventura

Andresa-Salgueiro-blog

episódio 98 – Andresa Salgueiro

A convidada desta semana é a Andresa Salgueiro que durante mais de um ano viveu à base de trocas.

Eu conheci a Andresa através da Edite Amorim, num encontro que também incluiu a Rossana Appolloni e o André Leonardo, um café que virou sala de reuniões de pessoas que acreditam que se pode fazer diferente, e querem e fazem diferente.

super-herois

Pessoas que sentem que há muita coisa para fazer, que gostavam de mudar o mundo, e à sua escala fazem, o mundo é composto por conjuntos pequenos, grupos de amigos, vizinhos, famílias, e se todos fizermos um pouco, o pouco vira muito.

Saí do meu local de trabalho, onde a Andresa foi ter, fomos a casa de uma familiar minha, e gravámos a conversa possível, pois o tempo era limitado. Fica aqui o repto às pessoas que seguem o podcast, se depois de ouvirem, acharem que ela deve voltar, arranjarei maneira de o fazer.

Um ano, a viver de trocas…eu acho que é preciso muita imaginação, criatividade e coragem.

Como falamos na entrevista, é-nos mais fácil dar ajuda, do que pedir ajuda, achamos que mostramos fraqueza, que estamos acima quando damos e não pedimos.

A vida é dar e receber, nem é só dar, nem é só receber, e felizes são aqueles que dão e recebem com o mesmo sorriso.

 

episódio 61 Ricardo Frade

O convidado desta semana é o Ricardo Frade, uma pessoa que é criativa na arte de viver, na arte de nos centrarmos na solução e não no problema.

A sugestão do convidado veio de uma ouvinte do podcast, a Ana Patrocínio, que me disse que eu era capaz de achar a história do Ricardo interessante. Confirmou-se achei a história interessante, pois histórias de reinvenção, de nos superarmos, são coisas que mexem muito comigo, pois eu próprio acredito que só tendo essa capacidade poderemos ser felizes. Porquê? Perguntam as pessoas. Só quem vive criativamente e  consegue ver a saída de situações menos boas em que se encontra, poderá almejar ser feliz, uma vez que viver significa isso mesmo, altos e baixos. E não importa o número de vezes que caímos, mas o número de vezes que nos levantamos.

O livro está cheio de peripécias em que o Ricardo tem de encontrar uma solução rápida para o seu problema, e todo o processo mental, descrito na primeira pessoa, é bastante inspirador.

Eu desde a nossa conversa comecei a olhar para a minha vida de forma diferente, espero que mais pessoas aproveitem este episódio para um pouco de reflexão.

A entrevista foi feita no Arigato Sushi Arena, o restaurante  de um anterior convidado, o João Banazol.