Tagged filipe melo

episódio 146, Carlos Conceição

O convidado desta vez é o Carlos Conceição, artista de efeitos especiais, que me foi sugerido pelo anterior convidado Pedro Andrade.

A primeira vez que contactei com o Carlos por email, estava ele no Canadá, falámos da possibilidade de fazer via Skype, mas optámos pela opção de aproveitar quando viesse a Portugal.

O currículo do Carlos é fantástico, trabalhou em grandes filmes, nalguns dos maiores estúdios de efeitos especiais, mas nada da sua atitude deixa passar que haja algum tipo de soberba de achar que é o maior, pelo contrário, é enorme mas na humildade, na paixão e na generosidade.

Que privilégio foi para mim conhecer e conversar com ele.

 

episódio 126, Filipe Melo e Juan Cavia, Os Vampiros

O episódio desta semana tem o Filipe Melo e Juan Cavia como convidados.

O Filipe Melo, anterior convidado, é realizador, músico, argumentista, e mais aquilo que lhe apetecer fazer, o Juan Cavia é ilustrador e director de arte, juntos fazem magia. O mais recente livro de banda desenhada “Os Vampiros”, é o quinto livro que fazem juntos, depois das aventuras do “Dog Mendonça e Pizza Boy”, um livro diferente, mas na minha modesta opinião, fantástico.

Não me vou alongar, a nossa conversa é bastante clara, dá para perceber o enorme trabalho por trás do resultado final, e o livro vale bem a pena comprar, é daqueles aos quais voltaremos muita vez, e de cada viagem, novas camadas iremos descobrir.

Gravámos numa esplanada em Lisboa, no Blu Café, e agradeço ao Senhor Vitor, dono do café, toda a disponibilidade e simpatia.

Realmente, não sei se é a falta de barba, mas eles têm muito mais estilo que eu!

 

 

 

episódio 22 Filipe Melo

O convidado desta semana é o Filipe Melo, músico de jazz, autor de banda desenhada, realizador, uma mente irrequieta e criativa.

O Filipe veio à Biblioteca de São Domingos de Rana falar do processo de fazer a trilogia de banda desenhada “Dog Mendonça e PizzaBoy”. No fim dirigi-me a ele e perguntei se ele estaria disponível para ser entrevistado para o Falar Criativo, e após dizer qualquer coisa do género “…se achares que eu tenho algo para dizer…”, deu-me os seus contactos, e assim que foi possível encontrámo-nos para conversar.

A humildade e generosidade do Filipe é sincera e presente, o que só o torna maior, mesmo grande.

Foi uma conversa cheia de histórias, de pontos de vista, de experiências pessoais, onde mais uma vez vi que a dúvida faz parte de quem tem a inquietação de fazer coisas.

A “inveja boa” e a “monogamia de ideias”, foram dois conceitos que adorei e vou usar com mais frequência.