Tagged lisboa

Rui-Malvarez-Blog

episódio 131, Rui Malvarez

O convidado desta semana é o Rui Malvarez da Produtora de Filmes, FIM – Forever in Movies .
Foi por causa do video viral do estudante alemão a falar sobre Lisboa que todas as pessoas, ou quase todas decidiram partilhar que fiquei com curiosidade para falar com o Rui, responsável da jovem produtora que em pouco tempo consegue fazer vários videos que atingiram a categoria de viral.
Se quiserem ajudar o podcast podem fazê-lo através do Patreon.
José-Luz-blog

episódio 97 – José Luz

O convidado desta semana é o José Luz, alguém que teve uma ideia, e em pouco tempo a transformou numa realidade com sucesso.

O José, há coisa de um ano, deixou o seu emprego de 14 anos e decidiu criar o seu próprio negócio, em poucos meses tinha a primeira versão a funcionar, e em menos de um ano lançou a segunda versão, revista e aumentada.

A ideia, transformou-se no Bestripvouchers.

Eu conheci o José, porque ele é marido da Anita Silva, e um dia em conversa, apercebi-me que o bestripvouchers, era uma ideia original, e que ele juntamente com os sócios, tinham posto a funcionar em tempo recorde.

Aproveitei, um dia que fui gravar o Falar mais Criativo com a Anita, e conversei com ele sobre como as coisas se processaram.

O percurso dele foi feito em vendas, algo que para mim me é difícil, mas que explicado da maneira que ele explicou, acabou por fazer muito mais sentido.

Há um lado de resiliência, de resistir às recusas dos clientes, um lado quase masoquista, de receber muitos “nãos” seguidos, e voltar a levantar a cabeça e continuar a tentar. É esse lado resistente, que me falta, o de ser rejeitado, ou melhor, conseguir separar aquilo que estou a “vender”, daquilo que sou.

Se alguém não “compra” o meu podcast, não quer dizer que eu seja menos por causa disso, significa, ou que o produto ainda não está no ponto, ou que o estou a tentar “vender” aos clientes errados.

O livro que desencadeou a ideia, o Startup, de Chris Guillebeau, eu também o tenho, e também li mais de metade, a diferença é que nada fiz com o que li, o José arregaçou as mangas, e agora tem algo de que se pode orgulhar, e que é um verdadeiro caso de sucesso.