Tagged livro

Andresa-Salgueiro-blog

episódio 98 – Andresa Salgueiro

A convidada desta semana é a Andresa Salgueiro que durante mais de um ano viveu à base de trocas.

Eu conheci a Andresa através da Edite Amorim, num encontro que também incluiu a Rossana Appolloni e o André Leonardo, um café que virou sala de reuniões de pessoas que acreditam que se pode fazer diferente, e querem e fazem diferente.

super-herois

Pessoas que sentem que há muita coisa para fazer, que gostavam de mudar o mundo, e à sua escala fazem, o mundo é composto por conjuntos pequenos, grupos de amigos, vizinhos, famílias, e se todos fizermos um pouco, o pouco vira muito.

Saí do meu local de trabalho, onde a Andresa foi ter, fomos a casa de uma familiar minha, e gravámos a conversa possível, pois o tempo era limitado. Fica aqui o repto às pessoas que seguem o podcast, se depois de ouvirem, acharem que ela deve voltar, arranjarei maneira de o fazer.

Um ano, a viver de trocas…eu acho que é preciso muita imaginação, criatividade e coragem.

Como falamos na entrevista, é-nos mais fácil dar ajuda, do que pedir ajuda, achamos que mostramos fraqueza, que estamos acima quando damos e não pedimos.

A vida é dar e receber, nem é só dar, nem é só receber, e felizes são aqueles que dão e recebem com o mesmo sorriso.

 

Miguel-Gizzas-blog

episódio 75 Miguel Gizzas

O convidado desta semana é o Miguel Gizzas, que é amigo de um grande amigo meu, e através daquelas conversas via facebook, pedi a esse meu amigo para nos pôr em contacto.

Entrei em contacto com o Miguel, que prontamente acedeu a conversar comigo, pois eu vinha “com óptimas referências” (o que é verdade).

Preparei a entrevista da forma que normalmente faço, procurando informação sobre o convidado, ouvindo outras entrevistas, lendo o que escrevem, etc., mas devo admitir que neste caso, fui surpreendido, e contente fiquei por o ter sido. Eu de algum tempo para cá deixei de seguir um “guião” para as entrevistas, permito-me escutar aquilo que me dizem, e o Miguel começou a falar num tema que me interessa bastante, que é a questão da felicidade, e o que é isso de ser feliz.

O Miguel disse-me que é feliz, e que aprendeu há uns anos o segredo para ser feliz (vão ter de ouvir, pois não vou revelar no texto, eheh).

A partir daí a conversa, centrando-se no seu livro, ou melhor romance musical, “Até que o mar acalme”, seguiu pelo caminho do puto curioso que sou que tenta através destas conversas, resolver questões que me inquietam, entre elas, a questão das escolhas, e neste tema em particular, o Miguel fala em não escolhermos algo só porque nos vai dar dinheiro, e vai contra os nossos princípios, pois como ele diz, vai nos “partir todo por dentro”, e que as decisões devem ser tomadas com o coração.

O Miguel formou-se em economia, tem duas empresas, deu aulas de gestão analítica, mas desde sempre teve contacto com a música, e algum dia havia de lá parar, e assim foi.

Falou do processo de “invenção” do conceito inovador de ter um romance, um livro, que por cada capítulo tem uma música que o acompanha, que se acede através de QR codes.

Sobre o fazer coisas, falou que o importante é começar, o estar dentro, a partir daí, temos uma noção bem mais real do que temos pela frente, e é mais fácil criar um plano de acção, e dessa forma não parar.

Há muita coisa nesta conversa que me apetecia referir, mas com o receio de estragar a quem quer ouvir, convido sim a ouvirem mais que uma vez, pois eu sei que o farei.

 

episódio 61 Ricardo Frade

O convidado desta semana é o Ricardo Frade, uma pessoa que é criativa na arte de viver, na arte de nos centrarmos na solução e não no problema.

A sugestão do convidado veio de uma ouvinte do podcast, a Ana Patrocínio, que me disse que eu era capaz de achar a história do Ricardo interessante. Confirmou-se achei a história interessante, pois histórias de reinvenção, de nos superarmos, são coisas que mexem muito comigo, pois eu próprio acredito que só tendo essa capacidade poderemos ser felizes. Porquê? Perguntam as pessoas. Só quem vive criativamente e  consegue ver a saída de situações menos boas em que se encontra, poderá almejar ser feliz, uma vez que viver significa isso mesmo, altos e baixos. E não importa o número de vezes que caímos, mas o número de vezes que nos levantamos.

O livro está cheio de peripécias em que o Ricardo tem de encontrar uma solução rápida para o seu problema, e todo o processo mental, descrito na primeira pessoa, é bastante inspirador.

Eu desde a nossa conversa comecei a olhar para a minha vida de forma diferente, espero que mais pessoas aproveitem este episódio para um pouco de reflexão.

A entrevista foi feita no Arigato Sushi Arena, o restaurante  de um anterior convidado, o João Banazol.

 

Passatempo Não Faço Ideia

Uma vez que gostei tanto do livro do Vasco Durão, o “Não Faço Ideia” decidi oferecer duas cópias autografadas a dois ouvintes do podcast.

Para se habilitarem só têm de enviar a resposta a duas perguntas para o email rui@falarcriativo.com.

  • Qual o episódio que mais gostaram do Falar Criativo até agora, e porquê?
  • Porque é que acham que deveriam receber o livro?

A data limite para o envio de respostas é o dia 2 de Maio, anunciarei os vencedores na página do Facebook e no próximo episódio do podcast.

Fico então a aguardar as vossas respostas criativas.